Por que devemos ensinar as crianças a programar?

Coluna Escrita para o caderno DM em Sala de Aula!

Olá! Na coluna de outubro escrevi um pouco sobre como a concepção de informática educativa enquanto instrumento interdisciplinar tem - no decorrer de 30 anos no Brasil - dado sinais claros de enfraquecimento e, principalmente, a sua contribuição tímida na melhoria da educação! Nesta coluna do DM na Sala de Aula, quero dar continuidade à temática da Programação de Computadores na educação. Para tanto argumentarei acerca da pertinência da programação e dos motivos pelos quais devemos ensiná-la em nossas escolas. Neste sentido, apresento um arrazoado de argumentações apresentadas por um grande grupo de pesquisadores que se ocupam da compreensão do potencial da programação de computadores no desenvolvimento cognitivo de crianças!
Motivo 1: A programação desenvolve nas crianças uma cultura de produção de tecnologia e não somente de consumo. O desenvolvimento de uma postura de protagonismo na criação de soluções para problemas que vão, desde movimentar um gatinho na tela- no caso do Scratch - até programar um braço robótico para levar uma bolinha de isopor do ponto A ao ponto B!
Motivo 2: A programação cria um espaço aberto para que as crianças expressem livremente suas ideias e de forma multimídia e testem suas hipóteses de melhor solução para o que querem. Portanto, é possível apontar que a programação de computadores desenvolve a criatividade nas crianças.
Motivo 3: Uma das grandes questões da educação é nossa inabilidade em tratar o erro. Não raramente ele é visto como um atestado de incompetência quando, na verdade, é uma oportunidade rica de aprendizagem! Assim, aterrorizados pelo erro e sua característica tinta vermelha, desenvolvemos em nosso estudantes a falsa sensação de que não devemos experimentar, tentar novas soluções, sair da “trilha de ouro” do livro didático, das lâminas do professor ou do que foi escrito no quadro. Tudo para que não tenhamos que nos deparar com o erro! Ter medo de errar mata gradativamente qualquer centelha de criatividade! Na programação, o erro acontece, é detectado em tempo real e pode ser tratado imediatamente pela criança com a ajuda dos colegas. Aprender a trabalhar com o erro é uma das grandes contribuições da programação de computadores!
Motivo 4: Programar computadores auxilia no desenvolvimento de Competências de manipulação e seleção de informação, fundamental em um mundo onde a internet nos dá acesso a uma quantidade de informação inimaginável a 10 anos atrás. Aprendendo a selecionar, criar e gerir múltiplas formas de mídia, incluindo texto, imagens, animação e áudio, as crianças se tornam mais perspicazes e críticas na análise dos recursos disponíveis!
Motivo 5: Programar  nos ajuda a desenvolver Competências de comunicação! Uma comunicação eficaz requer mais do que a capacidade de ler e escrever textos. Nessa perspectiva, programar computadores envolve as crianças na escolha, manipulação e integração de uma grande variedade de mídias para se expressarem, individualmente, de forma criativa e persuasiva.
Motivo 6: Programar  computadores auxilia no desenvolvimento do raciocínio crítico e pensamento sistêmico. Para construir seus projetos, as crianças necessitam coordenar o tempo e a interação entre múltiplos objetos móveis programáveis. Para programar é preciso definir de antemão os passos necessários, todos os procedimentos e sua ordem a fim de que se possa resolver o problema apresentado.
Motivo 7: A programação apoia a formulação de hipóteses de resolução de problemas. Criar um programa requer que a criança, considerando um problema, divida-o em partes menores, defina passos para solucioná-lo, formule hipóteses de resolução e teste-as.
Motivo 8: Programar aprimora competências interpessoais e de colaboração. Por serem - geralmente - construídos com blocos gráficos, o código de programação é mais compreensível e compartilhável facilitando a colaboração entre as crianças e potencializado a partilha de blocos de código.
Motivo 9: A Disciplina e a iniciativa são duas competências desenvolvidas no ato de programar. Ter uma ideia e descobrir como transformá-la em um programa de computador requer persistência e prática. Quando os jovens trabalham em projetos baseados em ideias que consideram pessoalmente importantes e significativas, estas geram motivação para ultrapassar os desafios e as frustrações encontradas no processo de concepção e de resolução de problemas.
Motivo 10: A programação de uma solução para um problema real requer que se tenha em mente a real demanda das pessoas para as quais a criança está desenvolvendo o programa e o modo como responderão ao programa feito. Geralmente, tal processo ocasiona a alterações no programa original. Esta dinâmica auxilia no desenvolvimento de competências de empatia e plasticidade mental.


Bem, nas próximas colunas pretendo refletir com mais atenção e detalhe sobre cada um dos motivos apresentados acima! Por agora, deixo uma frase de Douglas Rushkoff, um dos entusiastas da programação de computadores por crianças:

“Programe, ou será programado! Escolha a primeira opção e ganhe acesso ao painel de controle da civilização. Escolha a última, e poderá ser sua última escolha real.”

Douglas Rushkoff

Comentários

  1. Respostas
    1. O aprendizado da linguagem de programação é um passo para a alfabetização digital e será cada vez mais uma habilidade para toda a vida. Aprender a programar desenvolve capacidades como resolução de problemas, raciocínio lógico, relação entre causa e consequência, raciocínio matemático, linguística…




      Excluir
  2. Danúbia Rossato23 de maio de 2017 22:36

    Incrível se deparar com essa argumentação sobre a ideia de ensinar a programação nas escolas, entendo como um exemplo fantástico de adaptação do processo de educação, que insiste em evoluir de forma tão lenta, isso tudo vai ao encontro das colocações feitas por Silvio Meira, no vídeo de TEDxSaoPaulo, aonde ele aponta que dentro de um contexto de abundância de informações e conhecimentos, muda-se integralmente qual era o lema de educar, considerando que se no passado tínhamos que decorar coisas, agora temos que aprender processos, métodos, estruturas, no nível meta, acima do conteúdo para que possamos elaborar, capturar e gerar novo conhecimento, realizando processos de cooperação com os sistemas, com as pessoas, com as redes ao nosso redor, o que representa um número de oportunidades de educação fantástico e gigantesco, ou seja, a proposta de ensinar a programação para as crianças nas escolas é a “materialização” desses conceitos apresentados.

    ResponderExcluir
  3. O mundo evoluiu muito, e estamos na era digital. Porém muitos currículos escolares não se adaptaram a tal crescimento. Ensinar programação na formação básica de crianças pode revolucionar a maneira de pensar e até mesmo a velocidade de aprendizado das mesmas. Tendo que, juntamente a todos os argumentos citados acima, aprender a programar desenvolve um tipo de pensamento difícil de se encontrar em grande da população. Este pensamento ajuda a resolver problemas não apenas computacionais, mas por ser essencialmente logico, uma vez que desenvolvido, impulsiona a velocidade de raciocínio que o aluno tem em várias outras áreas do conhecimento. Portando, saber programar é muito importante, especialmente para crianças, já que estas se desenvolveriam com mais velocidade, podendo aprender cada vez mais.

    ResponderExcluir
  4. O aprendizado da linguagem de programação é um passo para a alfabetização digital e será cada vez mais uma habilidade para toda a vida. Aprender a programar desenvolve capacidades como resolução de problemas, raciocínio lógico, relação entre causa e consequência, raciocínio matemático, linguística…

    ResponderExcluir
  5. [09:53, 8/10/2017] +55 54 9920-3324: Já se tem conhecimento dos enormes benefícios que a programação precoce pode proporcionar ao desenvolvimento de uma criança. O fato da mesma ter que buscar coisas novas e perceber que o erro é uma situação natural, assim não seguindo a linha da "decoreba", onde ela apenas ficaria escutando o professor falar e passar as lâminas, é extremamente benéfico, pois em um mundo onde a tecnologia está em todo o lugar e a situação está se encaminhando para uma era da informação e programação, pois assim como já dizia Douglas Rushkoff "“Programe, ou será programado! Escolha a primeira opção e ganhe acesso ao painel de controle da civilização. Escolha a última, e poderá ser sua última escolha real".

    ResponderExcluir
  6. Ensinar as crianças a programar traz incontáveis beneficiosos, como indicado na reportagem a cima lista, acho que é de suma importância ensinar a nova geração a controlar o meio em que serão inseridos, e não apenas aceitar a programação de outros.

    ResponderExcluir
  7. Ensinar crianças a programar é extremamente benéfico pois estimula o desenvolvimento de seu raciocínio lógico desde cedo, o que facilitará e melhorará seu desempenho tanto no âmbito escolar quanto no profissional, uma vez que ao programar desenvolve-se também a lógica matemática e a interpretação de texto do aluno.

    ResponderExcluir
  8. O mundo atual está em constante evolução tecnológica, em questão de poucos anos quem souber programar possuirá uma enorme vantagem sobre as outras pessoas.
    A programação ao meu ver tem três importantes vantagens, a primeira é o desenvolvimento da criatividade. A possibilidade de coisas que podem ser programadas é infinita, então se nós dermos as crianças a liberdade de criar qualquer coisa que elas imaginem, o mundo vai ficar com cada vez menos barreiras.
    A segunda delas é a tentativa e erro. Com o mundo da programação aberto e com espaço para liberar sua criatividade os programas vão começar a surgir, e consequentemente alguns erros vão aparecer, mas se aulas de programação começassem no jardim de infância, as crianças vão aprender que o erro te faz aprender e melhorar cada vez mais.
    O terceiro é o desenvolvimento do raciocínio lógico. Com espaço para liberar sua criatividade e sabendo que errar te faz aprender, as crianças vão desenvolvendo o raciocínio lógico para criação de seus programas e para a resolução de erros, esse raciocínio vai impactar na vida social dessas crianças, o modo como resolvem os problemas nos programas com certeza vai impactar na vida social deles, e o desenvolvimento cognitivo vai ser cada vez mais aprimorado no decorrer da vida delas.
    Então as aulas de programação para as crianças devem começar o mais breve possível, pois assim o mundo só tem a ganhar

    ResponderExcluir
  9. Ensinar programação nas escolas tem se tornado algo fundamental, as crianças devem estar preparadas para um futuro dominado pela tecnologia. A programação ajuda a melhorar o entendimento de outras disciplinas, como matemática e até mesmo português, pois ela desenvolve a lógica e a capacidade de resolver problemas. Também é importante para auxiliar as crianças a aprender a trabalhar em equipe, que é fundamental na maior parte das atividades atuais.

    ResponderExcluir
  10. Um dos principais motivos de introduzir a criança ou o jovem à programação e a robótica é a demanda do mercado de trabalho, expansão da tecnologia, é tão crucial como o conhecimento da leitura. Instiga a resolução de problemas e contribui com desenvolvimento racional.

    ResponderExcluir
  11. Ensinar as crianças a programar é algo muito importante, pois isso vai ajudá-las a desenvolver o raciocínio lógico mais cedo, além de dar a elas uma habilidade que é e ainda será muito útil daqui para frente, e pode-se ter certeza de que precisaremos de muitos programadores mais futuramente.

    ResponderExcluir
  12. Cada vez mais a tecnologia se faz presente em nosso dia a dia. Nos dias atuais programar é uma habilidade fundamental, porém são raras as oportunidades que as crianças tem de aprender, pois dificilmente encontramos escolas capacitadas para isso. Programar parece ser uma coisa quase impossível de aprender, porém hoje em dia existem até jogos para que crianças aprendam isso de uma forma mais divertida. Isso ajuda a estimular o pensamento lógico, a criatividade e o raciocínio.
    A programação é de grande relevância para o desenvolvimento pessoal, e profissional das crianças.
    Precisamos entender melhor como tudo acontece, para que possamos utilizar de forma correta as ferramentas que a tecnologia nos oferece.

    ResponderExcluir
  13. Ao analisar a concepção de educação de informática utilizada nos últimos 30 anos no Brasil, vemos que esta tem impactado pouco na melhoria da educação, e que uma forma de utilizar a tecnologia na qualificação da educação é ensinar programação de computadores nas escolas. O ensino da programação pode trazer muitos benefícios de aprendizado e desenvolvimento, não somente tecnológico, mas de atitudes e comportamentos, como desenvolver uma cultura de produção de tecnologia e não somente de uso de tecnologias já existentes, incentivando a criatividade e expressão de suas idéias de forma multimídia, além de uma postura mais voltada para a solução de problemas. Além disso, a programação torna o ato de errar mais positivo, como parte do aprendizado e da solução final, reduzindo o medo de errar e permitindo errar e corrigir mais rapidamente, aprendendo com eles. Em um mundo com um enorme volume de informações disponíveis e acessíveis, a programação também ajuda o estudante a buscar e selecionar as informações úteis para uso em seu projeto, em diversos formatos. Além disso, a programação ajuda o aluno a se comunicar melhor, de forma mais criativa e persuasiva além de desenvolver pensamento mais sistêmico e organizado, aprimorando ainda a capacidade de análise e resolução de problemas com colaboração. Programar também exige disciplina e iniciativa, competências essenciais para um profissional na idade adulta, bem como prepara a criança para transformar suas idéias em realidade. Em resumo, vemos que ensinar programação de computadores nas escolas ensina aos alunos mais do que uma disciplina ou conhecimento técnico, e sim prepara a criança em seus comportamentos e atitudes necessárias para o futuro profissional, qualificando a educação através da aprendizagem desta tecnologia, principalmente desenvolvendo o senso crítico do aluno, sua criatividade, o enfrentar do erro e da frustração e ter iniciativa para buscar as soluções para os problemas que aparecem em seus projetos, trazendo mais experiencias do que uma educação focada apenas em utilizar a tecnologia que já existe, pronta e limitada. Adriano Leffa Chies.

    ResponderExcluir
  14. On e off

    A educação está em busca de novos caminhos. Processos de ensino e aprendizagem tradicionais não respondem mais às demandas do mundo contemporâneo, muito menos ao perfil do aluno do século XXI.
    O modelo de ensino com base no tripé professor-giz-quadro negro está cedendo espaço às novas tecnologias. A escola precisa de mudanças relevantes, mas nada simples, pois envolvem a necessidade de dominar as ferramentas do mundo digital. A natureza da tecnologia digital, no entanto, não tem sido compreendida em toda a sua amplitude pela escola dada a forma mercantil com que trata todos os seus processos, fato que leva uma instituição de ensino desavisada a encarar as TIs mais como simbologia de marcas do que como instrumento emancipador e criativo do trabalho discente e docente.
    A principal ideia é o aluno assumir um papel ativo na sua própria educação e, isso, nos dias atuais, acontece de maneira natural para esses estudantes que já estão “acostumados” com as novas tecnologias, pois, como relata alguns estudos, as crianças, de hoje, tem o celular como uma “parte” de seu corpo.

    O aluno sempre vai ter mais facilidade de dominar as novas tecnologias do que o professor. O estudante tem mais fluência digital, mas ainda não sabe ou não tem maturidade suficiente para conectar informações. O que o professor tem para oferecer? Uma experiência gigante de como navegar em um mundo complexo. O professor não precisa ser um poço de sabedoria em tecnologia e dominar todas as ferramentas, aplicativos e redes sociais. Ele precisa de capacitação para ter familiaridade para usar essas plataformas para conectar informações a favor da sua disciplina.
    Pretende-se discutir a perspectiva inovadora e os caminhos que se abrem para o professor na educação com o uso das tecnologias com uma visão emancipadora e por que não dizer persuasiva, atraindo a atenção dos alunos, já que esses estão à espera de um professor que chegue e traga novas ferramentas tecnológicas, as quais tenham potencial para promover a equidade e qualidade na educação, além de aproximar a escola do universo do aluno.
    Educar e envolver conhecimento tendo a educação digital como aliada é entender toda essa mudança que está acontecendo e conhecer as ferramentas digitais, seus mecanismos de funcionamento e como extrair o melhor delas. Assim, a educação formal hoje, para acontecer, necessita cada vez mais da educação digital. Em outras palavras, educação digital não significa ficar só no digital, mas fazer a integração entre on e o off, entre educação tradicional e inovadora.

    ResponderExcluir
  15. Tiago Rech Coronetti17 de maio de 2019 11:04

    Cada vez mais a tecnologia está mudando, atualizando, e modificando a vida de todos, quem for capaz de acompanhar essa atualização estará se adaptando as novas tendências tecnológicas, e quem for capaz de realiziar essas programações estará um passo a frente dos demais. a Programação será o diferencial para o futuro, principalmente das crianças, que estão desde cedo com a tecnologia incluída em suas vidas. Com a programação serão capazes de expressar suas ideias, e desenvolver o raciocínio lógico mais rapidamente. hoje em dia o domínio do computador (tecnologia) é essencial para o desenvolvimento humano e profissional e isso deve ser oferecido a criança de forma correta, para ela crescer sabendo a melhor forma de utilizar

    ResponderExcluir
  16. Estamos vivendo em um mundo rodeado de tecnologias, e temos que nos adaptar e conectar cada vez mais, para não “ficarmos para trás”. No texto acima os pontos sobre as programações nas escolas são citados e vejo que a programação ajuda as crianças a serem cidadãos ativos, e a fluência na linguagem digital é tão importante quanto a fluência em quaisquer outras línguas. Assim, ela auxilia a interpretar, fazer perguntas e dar respostas aos problemas não somente sobre o mundo virtual, mas também do nosso cotidiano, crianças que sabem programar são mais capazes de propor soluções na sociedade, e, portanto, elas não serão apenas consumidoras da tecnologia. Outra maneira que os pais podem utilizar para estimular esse tipo de aprendizado, é orientando melhor o uso da internet pelas crianças. Mostre para a criança que a internet pode ser usada para fazer pesquisas interessantes e até para criar jogos, por exemplo. Adorei a frase que encerra esse texto, aonde nos mostra que temos que aprender a programar para não sermos programados. Letícia Mazaro

    ResponderExcluir
  17. Pensar em educação nos faz pensar longe e voltar para perto. Passa os anos e nada muda nas escolas e nas metodologias educacionais, continua-se tendo as mesmas disciplinas com os mesmos roteiros de ensino, sendo que os tempos mudaram e continuam numa acelerada evolução, os quais é necessário que se tenha pessoas preparadas. E para formar pessoas para o futuro, devemos pensar nas crianças, de como estão sendo educadas e estimuladas para tal evolução. As crianças são dotadas de uma imensa criatividade em que ao passar dos anos vai se perdendo pela forma a qual são educadas. Uma vez que vivemos em um mundo tecnológico, a tecnologia é uma das melhores opções a ser usada, porém no ambiente escolar ocorre um afastamento. Por isso as escolas deveriam evoluir, pois ter apenas laboratórios de informática não é o suficiente, deveria ter aulas com a tecnologia inclusa para ensinar, como também aprenderem a desenvolver programas. Uma vez que ao desenvolverem programas estão desenvolvendo a criatividade, o raciocínio, a disciplina e diversas competências. Não deixando de lembrar que cabe aos pais também o dever de a tecnologia estar presente dentro de casa e o acompanhamento de como funciona no ambiente escolar. Com isso essas crianças crescem sem medo do que terão de enfrentar e mais atualizados com o que mais está em foco atualmente que é a tecnologia.

    ResponderExcluir
  18. Estamos vivendo uma fase de transição no ensino, do papel para a tecnologia, basta nós adaptar e nós capacitar para tal trancisao , as coisas estão andando rápida, hoje vc pode preparar uma ótima aula para aplicar para os seus alunos, e corre o risco de chegar amanhã, dia da aula, ela já estar desatualizada. Os alunos estão precisando de novos estímulos para apreender, é nesse contexto que entra a importância de apreender programação,pois assim eles se tornarão autor da sua própria história, desenvolvendo o aprendizado e até mesmo sua personalidade.

    ResponderExcluir
  19. A era digital já é um caminho sem volta, portanto tudo que puder ser utilizado e intensificado no sentido de aprendizado, educação e desenvolvimento haver de ser feito por meio de ferramentas tecnológicas. Não há outro caminho, então concordo que a programação de computadores desenvolve a criatividade nas crianças bem como ajuda a desenvolver Competências de comunicação! Disciplina e a iniciativa são duas competências desenvolvidas no ato de programar, sendo assim a programação pode ser considerada uma das melhores ferramentas de educação e desenvolvimento mental das crianças. Cabe ao organizadores educacionais,a dosagem e aplicação correta desta ferramenta para que seja usada apenas como alavanca no sistema de educação, sem que isso prejudique a noção de realidade das crianças.

    ResponderExcluir
  20. Estamos vivendo em uma época de transição ( do papel para a tecnologia) e temos que nos adaptar e nós capacitar para tal transição, as coisa estão andando em um ritmo tão alucinante que se hoje, vc programar uma aula ótima, vc corre o risco de amanhã, dia da aula, ela já está desatualizada, os alunos precisam de estímulos para a aula se tornar atrativa é nesse contexto que entra a diferenciação, se eles apreenderem a programação, já poderão ser gerenciador da sua própria história, ajudando na aprendizagem e por consequência na personalidade.

    ResponderExcluir
  21. Programar! Viagens são programadas! É isso que esta coluna me proporcionou, viajar no conhecimento e na linguagem das tecnologias. Pensar nos dez motivos argumentativos que esta coluna oportunizou é como uma viagem na contramão de tudo o que a sociedade atual propõe, que na mesma medida são fundamentais para a constituição de um sujeito, visto que, na sua formação necessita de um outro lhe auxiliando a se programar, se projetar, planejar, coordenar e pensar.
    Proponho analisar o texto através do seu acesso à cultura do conhecimento, na medida que provoca pensar que ajudar as crianças programar é desenvolver diversas competências humanas essenciais a sobrevivência, como por exemplo: saber se posicionar, ser criativo, possibilidade de aprender com as dificuldades e erros, capacidade de discriminação, muito presente nos boatos e Fakes atualíssimos, proporciona o pensar por si, pela própria cabeça, o que também pode gerar a capacidade de responsabilizar-se pelos atos praticados, sugere a possibilidade de menos competições maléficas e a busca pela estruturação dos laços fraternos e um outro fator essencial, a empatia, que pode auxiliar na criação de redes que potencializem a educação através da transmissão.
    Portanto, encerro com um pequeno trecho retirado do livro Inclusão digital tecnologias e metodologias que fala que possibilitar o acesso as tecnologias digitais são fundamentais para que cada cidadão possa, de fato, fazer parte dos processos decisórios do mundo contemporâneo, ao tempo que goze de possibilidades de acesso a bens culturais que potencializam seu desenvolvimento enquanto ser humano integral. Essa é a transmissão que permite um uso adequado e em prol de benefícios a educação e a sociedade de modo geral.

    ResponderExcluir
  22. Maria Caroline da Silva18 de maio de 2019 15:46

    Vivemos em um mundo em que tudo gira em torno de tecnologias, em qualquer lugar em que se vá podemos nos deparar com informações que são processadas e compartilhadas em tempo real por meio das mídias digitais.Todos os dias são apresentadas inovações tecnológicas, que trazem benefícios para sociedade, seja nas áreas da informação, transporte, educação, saúde entre outras. Ensinar a programação para crianças e adolescentes, a primeira vista assusta, por parecer difícil...Porém tendo como precedente de que as próximas gerações precisarão dominar essa linguagem para lidar melhor com os desafios das mais diversas áreas e também em seu dia a dia, já me faz pensar de que a educação não pode mais retroceder e fechar os olhos para as diferentes formas de aprender, é preciso incluir ainda mais as tecnologias em sala e no dia a dia dos alunos que além de aprender a programar também estarão estimulando o pensamento lógico, a criatividade, o raciocínio matemático, a capacidade de resolução de problemas e a lidar com frustrações. Como atuante na educação, acredito que precisamos de preparo e capacitação para lidar com tudo que o mundo digital tem a nos oferecer e poder auxiliar os alunos a utilizar a tecnologia como aliada na educação!

    ResponderExcluir
  23. A acelerada renovação dos meios tecnológicos tem se limitado
    apenas ao treinamento de professores para o uso destes. Frente às mudanças
    oriundas do crescente desenvolvimento tecnológico, faz-se necessário na
    educação, construir novas concepções pedagógicas elaboradas sob a
    influência do uso dos novos recursos tecnológicos que resultem em práticas
    que promovam o currículo nos seus diversos campos do sistema educacional,
    possibilitando aos docentes se apropriarem criticamente destas tecnologias e
    práticas educacionais contribuindo para a inclusão digital e dar ênfase
    significativa a prática pedagógica.

    ResponderExcluir
  24. ROSANGELA BARANCELI22 de maio de 2019 11:13

    Excelente reflexão acerca da aprendizagem das crianças e jovens de todas as localidades do mundo. Partindo da premissa de programação e a arte de lidar com tentativas e erros, e as frustrações de conseguir ou não os problemas, é como a matemática, que estudávamos X e Y e não víamos muita utilidade no cotidiano de todos. Portanto, o que espera-se da educação atual, é a inclusão digital de todos, a programação, seria o ideal: estudar a linguagem de programação, ou seja, nada é automático, em tudo os estudantes precisam estudar e prepararem-se para alcançar os objetivos definidos, e para isto valorizar e capacitar os professores, para que possamos usar todas as disciplinas do currículo escolar, para atingirem a linguagem da programação, não esquecendo a total influência que teremos em nossos profissionais e a evolução dos mesmos, desenvolvendo espírito crítico e a percepção de participar do mundo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário