Sobre Fake News



Respostas dadas para Rebecca Mistura - Jornal O Nacional em [9 JAN 2018]



É possível apontar a fonte dessas notícias falsas? 

A propagação de informações falsas (ou não) nas redes sociais dificulta a identificação da origem de determinada notícia! Basta pensarmos que se uma determinada notícia falsa for compartilhada uma vez no Facebook por uma pessoa que tenha 338 amigos - este é o número médio de amigos no Facebook revelado pela rede social digital em 2017 - e se cada um destes 338 amigos compartilha-la novamente, a mensagem chegará a 114.244 pessoas. A dimensão do alcance da rede fica ainda mais clara se houver um terceiro nível compartilhamento, ou seja, se cada uma destas 114.244 pessoas compartilharem novamente a notícia, chegaremos ao número de 38.614.472 pessoas. Ou seja, para o usuário comum é impossível chegar à fonte real da notícia.

Com relação às notícias falsas é importante destacar que: 1) Sempre existiram, mas a velocidade com que se alastram em um mundo conectado é vertiginosamente maior; 2) A notícia falsa geralmente vem atrelada a um tema polêmico e contemporâneo. O deseja de ser o primeiro a veicular e, na cabeça da pessoas, ajudar os outros, nos impele a compartilhá-la sem a devida análise; 3) com a facilidade de geração de conteúdo proporcionado pela Internet, a não ser que você seja um expert no assunto da notícia, é muito difícil identificar clara e diretamente se a notícia é verdadeira ou falsa.


Quem são os maiores perpetuadores dessas informações?

Nós mesmos! Cada vez que simplesmente compartilhamos, retuitamos ou encaminhamos um texto que recebemos sem citar as fontes ou buscar mais informações sobre aquilo, estamos fornecendo pontos para as informações.



Um elemento importante quando se trata de notícias falsas  está relacionado ao fato de que uma informação recebida de um amigo vem revestida de uma maior credibilidade do que aquela veiculada por outra fonte.  Afinal,  acreditamos piamente que nossos amigos querem o melhor para nós! Assim as notícias falsas possuem um veículo poderoso de veiculação,  as redes sociais -  digitais ou não. 


Como funcionam os serviços de big data? Como eles influenciam no conteúdo visto e no alcance das publicações?



Big Data consiste - principalmente - naqueles dados gerados de forma não-estruturada. Ou seja, dados que são gerados sem a intervenção direta dos usuários. Por exemplo, se uma determinada notícia é veiculada repetidamente em diversas redes sociais ao redor do mundo - dificilmente identificável para um ser humano - os algoritmos de computação cognitiva podem analisar cada uma destas postagens, identificar padrões e gerar outras informações com base no que estes milhões de usuários estão falando.



Para exemplificar melhor, em 23 de março de 2016, a Microsoft liberou no Twitter a sua nova inteligência artificial (IA) chamada Tay. Ou seja, um programa que aprendia com o que os seus contatos falavam. 



A ideia inicial era que ela conversasse as pessoas de forma natural, entretanto, um grupo de crackers, ao descobrir que ela foi programada para para aprender e evoluir seus métodos de conversação conforme interagia com as pessoas, começou a bombardeá-la com todo o tipo de mensagens com temáticas controversas. Em menos de 24 horas ela começou a gerar informações racistas, homofóbicas e pró-nazismo! 


- Como reconhecer, objetivamente, uma matéria ou fonte falsa?



Existem várias técnicas, a primeira nasce fora da internet e desde que a primeira relação humana se estabeleceu: Precisamos criar filtros para acessar estas informações. Ou seja, precisamos checá-las, em que contexto foram geradas, mais alguém está falando sobre isto? É importante termos claro que, se por um lado a Internet potencializou a disseminação de notícias falsas, por outro é um recurso poderoso para apurarmos a veracidade do que nos chega!



De qq forma, para sermos práticos, penso que o material criado pela International Federation of Library Associations and Institutions (IFLA) é valioso para nos ajudar a reconhecer notícias falsas:




É viável fazer um controle dessa disseminação de notícias inverídicas sem que haja censura?



É difícil criar um mecanismo de controle eficiente na internet! Ao menos com a tecnologia que temos hoje em dia. Assim, o melhor método e desenvolver uma cultura de utilização da internet, ação que, embora mais difícil, seria a mais perene e adequada para a lógica livre da Internet!


Comentários