Computação nas nuvens é coisa do passado...

... do presente e (talvez), do futuro... ;-)

Quando a gente fala de computação nas nuvens, termo do momento na área de TI, talvez os mais "desaviados" pensem em algo próprio do século XXI, somente visto em filmes de ficção científica - que sem dúvida alguma não dão uma amostra do futuro - , ou saído agorinha do forno "(MIT)iano" ou das conversas nerd dos protagonistas do The Big Bang Theory.

Pois bem, saibamos nós, que desde a primeira vez que utilizamos um e-mail, isto lá nos idos de 1969 (sim, antes da maioria de nós nascermos), ou quando se acessou pela primeira vez uma página (só de texto é verdade) na então ARPANET, lá em 1955, já estávamos viveniciando o que hoje chamamos de computação nas nuvens.

Portanto, todo mundo que navega na Web, está, deste a sua primeira exploração, experimentando o que chamamos de computação nas nuvens, o que, de forma não geek, significa acessando páginas que estão armazenadas em outros computadores e que, a partir da digitação de determinado endereço, posso (re)visitá-las de qq computador do mundo. Muito bom né?







Então qual a novidade? Do ponto de vista de lógica, quase nenhum, do ponto de vista de dinâmica, toda a diferença! A computação nas nuvens de hoje não somente nos dá acesso à conteúdos de outras máquinas distribuídas em servidores no mundo inteiro, como também, abrem possibilidades nunca vistas de comunicação, compartilhamento e colaboração.



E quais são as vantagens? Tantas quanto nossa imaginação permitir. Vamos elencar algumas:
  • Manifestações coletivas de criatividade, seja através da criação/edição/disponibilização de  de textos, de imagens,  de vídeos, de músicas, de ideias, de mobilizações, etc, etc;
  • Acesso a estas manifestações de qualquer dispositivo conectado à internet, diminuindo assim a hegemonia de Discos Rígidos, Pen drives, CDs, DVDs, etc, etc. ;
  • Ampliação do que Levy (mas não só ele) chama de inteligência coletiva, entendida como a inteligência distribuída no mundo que, através das nuvens, se conectam e trabalham juntas;
  • Virtualização da comunicação que, de uma forma muito clara, se amplifica e se dá neste novo espaço de interação, o ciberespaço, suporte para a computação nas nuvens.... E aí vai....
É claro que ela coloca em cheque muitas de nossas "crenças" baseadas na propriedade do conhecimento, da necessidade de se ter guardadas em nossas próprias máquinas (PCs) as músicas, textos, imagens que utilizamos, de não conversar com "estranhos".... E cada uma destes exemplos davam posts novos, tenham certeza... De qq forma, meu objetivo é destacar, um pouco que seja, a importância e o potencial da computação das nuvens para a aprendizagem e socialização humana....

Abaixo, alguns vídeos que de uma forma ou outra, ilustram o que quero expressar...







Exemplos práticos? Aqui vão:

Comentários

  1. Apesar do termo e a sua "utilidade" já ter surgido há muito tempo, a real utilização da Computação nas nuvens aos poucos vem ganhando espaço nos meios em que vivemos.
    Porém, o que se vê ainda é muito receio na sua utilização, principalmente no que tange a questão: "Será que é seguro?".
    A interação, as novas possibilidades e as manifestações estão disponíveis... Bóóóra utilizar!

    ResponderExcluir

Postar um comentário